8 coisas que deixam seu Linux mais prático que o Windows

Sep 16 / Paulo Oliveira
Já se foi a época que os sistemas operacionais Linux eram comandados apenas pela linha de comando em tela preta ou em ambientes gráficos sofríveis e amadores. Hoje em dia, existem diversas distribuições que usam o kernel Linux como o Ubuntu e Linux Mint, ideal para usuários iniciantes no universo Linux e usuários de Windows e MacOS.

Listamos aqui os principais recursos que deixam o Linux de forma mais amigável e prático que o Windows. Não é de hoje que o Linux tem aumentado como preferido de usuários domésticos e corporativos devido. Acompanhe!

1. Xô Baidu

Um dos maiores problemas que os usuários do Windows enfrentam é quando vão instalar um programa ou atualizar e aparecer uma opção, de certa forma escondida, para que você instale outro programa que não estava em seus planos. Um dos casos mais famosos é a instalação automática do Baidu, Hao123 e alguns antivírus que não foram solicitados. 

Todos os programas do Linux são instalados de forma mais transparente, ou seja, instalado apenas no programa, e suas dependências necessárias para o seu bom funcionamento.

2. Atualização dinâmica

As atualizações do Linux são feitas de forma mais prática e rápida. É possível configurar de modo automático, manual e também pré-agendada. Um dos maiores benefícios do Linux na hora de atualização em comparação com o Windows é que, não há necessidade de concluir a atualização ao desligar ou reiniciar sua máquina. O que em alguns sistemas da Microsoft pode demorar alguns minutos, perdendo assim agilidade

3. Lojas de aplicativos

Na loja de aplicativos, você pode instalar, remover ou atualizar os seus programas com poucos cliques. Há alternativas de lojas, como o Deepin Software Center ou App Grid, que fornece todos os sistemas fundamentais para o seu dia-a-dia. 

4. Instalação limpa

Quando você compra um Windows em uma máquina nova, normalmente ele vem com vários softwares pré-instalados, chamados de Bloatware, que podem reduzir o tempo de vida de uma bateria ou até mesmo o espaço útil, em memória RAM ou disco HD, que poderia ser usado por uma outra aplicação de maior interesse do usuário.

Já no Linux, isso não ocorre. Os programas pré-instalados são úteis no dia-a-dia. E se mesmo assim, você não quiser tê-los em seu sistema, é possível desinstalar por completo todos eles, economizando espaço e processamento.  

5. Sem antivírus

Um dos programas que mais consomem processamentos no Windows é de fato os antivírus, ainda mais se forem na versões pagas. Além de ser recomendável a sua instalação e extensa manutenção ao longo dos dias. Mesmo com todos esses aparatos, seu PC ainda pode estar em risco com diversos tipos de malwares. Isso sem contar o tempo que se perde com as configurações do seu antivírus, criação de regras para quarentena, quando colocado um pen-drive, etc.

Espaço e processamento que podem ser reutilizados em sistemas Linux, ganhando tempo nas suas atualizações e instalações. O pinguim dá outros tipos de proteção, como a ferramenta IpTables.

6. Comunidade dinâmica

Um dos maiores diferenciais que o Linux possui em relação ao Windows, é a sua comunidade. Sempre que você se depara com um problema no Linux, há na Web uma solução para o seu caso. E se há quaisquer problemas novos nos softwares do Linux, a comunidade lança rapidamente suas correções de bug, patchs, entre outros.

7. Sem precisar instalar drivers básicos

Quando você compra uma máquina com Windows, ou quando precisa formatar ele por completo, um dos processos mais burocráticos que se tem é a instalação de vários e vários drives básicos que o Windows necessita, tais como driver de placa Wi-fi, driver de USB 3.0, driver de Video HDMI/VGA, driver de som, driver de placa de rede, entre outros.

É possível se deparar com uma maquina Windows recém instalada sem conexão de internet por cabo ou wi-fi, por justamente faltar seus drivers. Nesse caso, é necessário baixar tudo em um pen-drive ou em outro dispositivo para depois passar para o sistema da Microsoft.

O Linux, conta com um kernel chamado de monolítico, ou seja possui todos os códigos de suporte necessários para o seu funcionamento quando ele é recém instalado.

8. Layout mais simples

Como interfaces do Unity do Ubuntu e Cinnamom do Linux Mint, são exemplos de práticas e rapidez de ambientes. Os layouts dos programas são mais fáceis de entender e de manipular. Suas configurações são concentrados em uma única página com simples comandos para uma personalização.
Created with